Álbum do Centenário de Joinville

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar

Álbum do Centenário de Joinville é uma afamada obra lançada pela SAJ (Sociedade Amigos de Joinville) na ocasião do centenário da cidade de Joinville. Plácido Olímpio de Oliveira, que por ter sido vereador em Joinville possui biografia no Memória CVJ, assina muitos dos textos históricos da obra. Para contribuir com a historiografia local, este artigo tem a finalidade de apontar as incorreções presentes na obra. Antes, porém, o projeto Memória CVJ deseja externar a profunda gratidão a historiadores do passado que colocaram os primeiros degraus para que hoje pudéssemos continuar a subida.

Página 37

No livro

Ao mencionar os fatos referentes à 3ª Legislatura Monárquica, o historiador Plácido Olímpio de Oliveira afirma que nas eleições os conservadores foram a maioria. Ele também informa que tal legislatura começou em 1876.

A Correção

Os conservadores formaram a maioria numa primeira contagem de votos,[1] que foi questionada na justiça e refeita, incluindo eleitores de São Bento que antes haviam sido deixados de fora. Na nova contagem, os liberais levaram a melhor.[2] Tal situação é melhor detalhada no artigo sobre aquela legislatura, que iniciou em janeiro de 1877.[3]

Páginas 37/38

No livro

Sobre as eleições para a 4ª Legislatura Monárquica, o Álbum do Centenário menciona que havia 915 eleitores em 1880. Confrontando tal número com o baixo número de votantes, a obra supõe ter havido enorme abstenção, talvez por mal tempo, talvez por causa do voto a descoberto, o que desincentivaria os eleitores (para agradar um, precisariam desagradar outro).

A Correção

A diminuição do número de eleitores foi fruto dos efeitos da Lei Saraiva.

Página 39

No livro

Comentando as eleições municipais de 1882, a publicação informa que essa se deu em "virtude de renuncias, mas parece que o eleitorado estava cançado (sic) de tantos chamados ás urnas, pois a apuração foi irrisória:"

A Correção

Estas são as eleições para a 5ª Legislatura Monárquica. É compreensível que o autor pense que tais eleições se deram em virtude de renúncias, já que somente 5 vereadores foram eleitos nesse dia, para uma câmara composta de 9 edis, parecia apenas uma recomposição da Câmara. No entanto, o que se deu foi que somente 5 candidatos atingiram o quociente necessário no primeiro pleito,[4] sendo convocado novo pleito para três semanas depois, que forneceram os outros 4 vereadores.[5] Não foi uma eleição para suprir cargos vagos por renúncias.

O baixo número de eleitores levou o autor a cogitar um desinteresse da população, o que pode ser verdade. Porém, como já comentado, deve-se levar em conta que a diminuição do número de eleitores também foi fruto dos efeitos da Lei Saraiva.


Ver também

Outros artigos com Correções Históricas sobre a política de Joinville.




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Álbum do Centenário de Joinville. Memória CVJ, 2023. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=%C3%81lbum_do_Centen%C3%A1rio_de_Joinville>. Acesso em: 17 de julho de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2023)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2023)

Referências

  1. Edital. Kolonie Zeitung, de Joinville. 7 de outubro de 1876.
  2. Edital. Kolonie Zeitung, de Joinville. 2 de dezembro de 1876.
  3. Ata da Sessão de 7 de janeiro de 1877, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  4. Noticias Locaes - Eleição Municipal. Gazeta de Joinville, 5 de julho de 1982. Visitado em 12/04/2023
  5. Noticias Locaes - Eleição Municipal. Gazeta de Joinville, 6 de julho de 1980. Visitado em 20/01/2023