Alberto Kröhne

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar
Alberto Kröhne
Alberto krohne.jpg
Foto: Livro Joinville - Nossos Prefeitos: 1869-1903
Partido
Legislatura 6ª legislatura Monárquica

Em Joinville, Alberto Júlio Kröhne (Albert Julius Kroehne) foi vereador da 6ª Legislatura Monárquica.

Vereador

Alberto Krohne.
  • 6ª Legislatura Monárquica (1887-1890): Nas eleções de 1886, Alberto Kröhne não obteve o quociente eleitoral para eleger-se já no primeiro pleito, em 1º de julho. Ele esteve então entre os candidatos que participaram de um segundo pleito no dia 21 do mesmo mês, que definiria mais quatro vereadores. Nessa ocasião, Kröhne conquistou 19 votos e foi eleito vereador.[1] Em janeiro de 1887, ele foi eleito vice-presidente da casa.[2] Por motivo de doença, Alberto foi o único vereador ausente na sessão que votou e aderiu unanimemente ao governo provisório de Santa Catharina e à recém proclamada república.[3]

Informações Biográficas

Kröhne tinha uma casa na atual rua Engenheiro Niemeyer (Ludovico), em frente à praça Lauro Müller (do Mercado).[4]

Alberto nasceu em 24 de agosto de 1824, em Waldenburg, Saxônia, de onde era também Ottokar Dörffel.[5] Ele imigrou em 1854 pelo navio Florentin, chegando na colônia Dona Francisca a 20 de novembro. Alberto tinha 20 anos na ocasião.[6]

Alberto Kröhne era arquiteto, sendo seus serviços muito solicitados na cidade. Eis alguns fatos importantes da vida dele:

  • Responsável pelas obras de construção da casa de oração protestante.
  • Arquiteto da construção da igreja católica.
  • Engenheiro da Direçao da Colônia.
  • 1857: Responsável pelas obras de desobstrução do Rio Cachoeira.[2]
  • 1858: Sócio-Fundador da Harmonie, embrião da atual Harmonia-Lyra.[7]
  • 1860: Integrante da administração da Colônia, na função de arquiteto, com salário de 66.666 réis.[2]
  • 1867: Por sua maquete de uma ponte sobre o rio Piraí, Kröhne recebeu uma menção honrosa na Segunda Exposição Nacional de Desterro.[8]
  • 1872: Por ato da Presidência da Província, Alberto foi promovido a Sub-tenente da Guarda Nacional.[2]
O artigo 90 da Constituição federal de 1824, preceituando sobre as eleições de senadores e deputados.
  • 1873: Com a morte de Bernardo Poschaan Jr., Alberto se tornou eleitor geral (eleitor de 2º grau), o que lhe permitia votar para deputados e senadores. Os eleitores de 2º grau eram eleitos pelos eleitores de 1º grau (Eleitores de paróquia).[9]
  • 1873-74: Com August Heeren, Alberto esteve envolvido na abertura de vias e demarcação de lotes em São Bento.[2]
  • 1877: Kröhne esteve entre os que fizeram donativos para ajudar os enfermos de São Francisco do Sul, onde grassou uma epidemia de febre amarela. Ele contribuiu com 3 mil réis.[10]
  • 1904: Inauguração do Jardim Público, atual praça Lauro Müller, projetada por Alberto.[5]
  • 1908: Kröhne discursa no 50º aniversário da Harmonie.[7]

Alberto faleceu em 4 de setembro de 1914.[5]

Família

Seu irmão, Julius Kröhne, abriu uma confeitaria que ficou famosa na cidade. Julius casou-se com Mella, filha de Frederico Heeren. Ela foi representada por Cristiana Oliveira no filme "Uma Carta para Ferdinand". Segundo se conta, Mella foi a grande paixão de Frederico Brüstlein.

Vereadores da 6ª Legislatura Monárquica
Alberto KröhneCarlos KumlehnEduardo KrischJoão Eugênio Moreira JúniorFernando RognerFrancisco Gomes de OliveiraFrederico BrüstleinJohann ColinLudolfo Schultz




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Biografia de Alberto Kröhne. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Alberto_Kr%C3%B6hne>. Acesso em: 24 de abril de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)


Referências

  1. Sociedade de Amigos de Joinville. Álbum do Centenário de Joinville. 1951. Curitiba: Gráf. Mundial.
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 Carlos Ficker. História de Joinville - Subsídios para a Crônica da Colônia Dona Francisca. Joinville: Impressora Ipiranga, 1965.
  3. Ata da Sessão de 18 de novembro de 1889, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  4. Anncios. Gazeta, 14 de junho de 1882. Visitado em 11/05/2023
  5. 5,0 5,1 5,2 Elly Herkenhoff. Joinville - Nossos Prefeitos: 1869-1903. Joinville: Prefeitura de Joinville, 1984.
  6. Listas de Imigrantes, Arquivo Histórico de Joinville.
  7. 7,0 7,1 Elly Herkenhoff. A "Harmonie-Gesellschaft". Blumenau em Cadernos, edição de julho de 1979.
  8. Rosa Herkenhoff. Subsídios Históricos. Blumenau em Cadernos, edição de Outubro de 1988.
  9. Ata da Sessão Ordinária de 7 de julho de 1873, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  10. Annuncios Gazeta de Joinville, 2 de abril de 1878. Visitado em 22/11/2022