Frederico Heeren

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar
Frederico Heeren
Frederico heeren.png
Partido(s) Partido Liberal (1831)
Legislatura 3ª legislatura Monárquica
Assinatura Frederico herren assina.png

Em Joinville, Frederico (Friedrich) Heeren foi vereador da 3ª Legislatura Monárquica.

Vereador

  • 3ª Legislatura Monárquica (1877-1881): Disputando as eleições de 1876 pelo partido Liberal,[1] Heeren foi eleito vereador com 202 votos.[2] Ele foi um dos vereadores implicados no processo judicial que suspendeu 5 deles por cerca de um mês, por crime de responsabilidade.
Magnifying glass 01.svg.png Ver artigo principal: Assembleia Legislativa Provincial versus Câmara de Joinville

Informações Biográficas

Imigração

Com 21 anos de idade, Frederico Heeren imigrou a bordo da brigue dinamarquesa Gloriosa, famosa por ter trazido à colônia algumas das lideranças econômicas e políticas da nascente Joinville, como Haltenhoff, Bernardo Poschaan Jr., Rodowicz (cronista dos primeiros anos) e o Dr. Krebs. A brigue chegou na colônia em 27 de setembro de 1851.[3]

Vida em Joinville

Mapa de Joinville feito por Heeren em 1860. Baixe o mapa aqui.

Frederico Heeren foi engenheiro e agrimensor.[4]

  • 1855 - Membro-Fundador da Schuetzen-Verein zu Joinville, considerada o primeiro clube de tiro ao alvo do Brasil.[4]
  • 1856 - Inspetor da Colônia na gestão do diretor Aubé. Heeren os substituiu algumas vezes que Aubé precisou se ausentar.[4]
  • 1857 - Heeren assina, com outros cidadãos, uma petição enviada à presidência da província de Santa Catarina, solicitando a elevação de Joinville à condição de Vila, o que permitiria formar uma Câmara Municipal própria.[4]
  • 1860 - Como Inspetor, Heeren confecciona um mapa da Colônia (ver imagem ao lado. O mapa pode ser baixado no site da Prefeitura de Joinville.)
  • 1862 - Eliminado o cargo de inspetor da Colônia. Heeren se mudou para Brusque, onde atuou como agrimensor.[4]
  • 1867 - Diretor interino da Colônia Príncipe Dom Pedro, na região de Itajaí.[4]
  • 1869 - Volta para Joinville, onde é empregado pela Domaine do Príncipe de Joinville.[4]
  • 1869 - Heeren se oferece para atuar gratuitamente como agrimensor e arruador da Câmara Municipal.[5]
  • 1871 - Assume o cargo de agente do correio.[4]
  • 1870 - Deixa o cargo de agente do correio.[4]
  • 1877: Heeren esteve entre os que fizeram donativos para ajudar os enfermos de São Francisco do Sul, onde grassou uma epidemia de febre amarela. Ele contribuiu com 2 mil réis.[6]
  • 1886 - Eleito juiz de paz com 60 votos.[7]

Família

Frederico e sua esposa Marie, filha de Haltenhoff (Acervo de Von Zeska, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.

Frederico foi casado com Marie, filha de Haltenhoff.[4] Ele era irmão de Augusto. Como ambos exerciam a mesma profissão (engenheiros e agrimensores) e algumas vezes eram citados só pelo sobrenome, é importante cuidar para não confundi-los ao ler o sobrenome nas obras historiográficas.

Sua filha, Mella Kroehne, foi representada por Cristiana Oliveira no filme "Uma Carta para Ferdinand".

Vereadores da 3ª Legislatura Monárquica
Augusto StockCarlos KumlehnCarlos MonichCarlos PatzschFernando RognerFrederico JordanFrederico HeerenFrederico LangeFrederico MuellerHenrique LepperHenrique WalterHermann August LepperMartin BächtoldOttokar Dörffel




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Biografia de Frederico Heeren. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Frederico_Heeren>. Acesso em: 22 de abril de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)


Referências

  1. Mitbürger. Kolonie Zeitung, 23 de setembro de 1876.
  2. Edital. Kolonie Zeitung, de Joinville. 2 de dezembro de 1876.
  3. Listas de Imigrantes, Arquivo Histórico de Joinville.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 4,7 4,8 4,9 Ficker, Carlos. História de Joinville - Subsídios para a Crônica da Colônia Dona Francisca. Joinville: Impressora Ipiranga, 1965.
  5. Ata da Sessão Ordinária de 11 de outubro de 1869, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  6. Annuncios Gazeta de Joinville, 2 de abril de 1878. Visitado em 22/11/2022
  7. Sociedade de Amigos de Joinville. Álbum do Centenário de Joinville. 1951. Curitiba: Gráf. Mundial.