Caetano Évora da Silveira Jr.

De Memória CVJ
(Redirecionado de Caetano Évora da Silveira)
Ir para navegação Ir para pesquisar
Caetano Évora da Silveira
Caetano evora da silveira.png
Foto: Jornal A Notícia[1]
Partido(s) PTB
Legislaturas

Em Joinville, Caetano Évora da Silveira Jr. foi vereador da 5ª Legislatura pós-Era Vargas.

Vereador

5ª Legislatura (1963-1967): Nas eleições de 1962, Caetano foi eleito vereador pelo PTB com 831 votos.[2] Sendo presidente casa no biênio 1963-1964, durante sua presidência ocorreu o golpe militar de 1964, mas Caetano não consta entre os signatários do Manifesto de 1964, uma mensagem da Câmara de Vereadores ao povo de Joinville publicada um dia após o golpe e em apoio a ele.[3] Caetano foi presidente da casa no biênio 1963-1964.

Narra o jornalista Ary Silveira de Souza que ao editar o programa de rádio "A Câmara em Foco" para a rádio difusora, o conteúdo era submetido à aprovação de Caetano, como presidente da casa. Caetano sempre recomendava que não houvesse privilégios, mantendo no programa os pronunciamentos de amigos e adversários, de forma justa.[4]

Magnifying glass 01.svg.png Ver artigo principal: Praça Caetano Évora da Silveira
A Praça Caetano Évora da Silveira, em Pirabeiraba

Tramitou em 1963 na Câmara um projeto que denominava de "Caetano Évora da Silveira" uma praça, na ocasião recém construída, no distrito de Pirabeiraba.

Como Caetano havia sido apenas prefeito interino, houve relutância em nomear uma praça em sua homenagem, relutância demonstrada pela apertada votação na Câmara: 5 vereadores contra e 5 a favor. O voto de qualidade recaía sobre o presidente da casa, que por ironia do destino era justamente Caetano Évora da Silveira, que entendeu ser merecida a homenagem, e votou a favor do projeto.[5]

Caetano foi também nomeado membro da comissão especial que ficou encarregada de organizar a realização do 1º Congresso Regional dos Municípios Norte-Catarinenses, que em 1966 reuniu prefeitos, deputados e autoridades do Norte de Santa Catarina.[6]

Eleições Perdidas

  • 1954 - UDN - 119 votos.[7]
Caetano em campanha para Deputado Estadual (Imagem: A Notícia, 30 de outubro de 1966)

Outros Mandatos

Prefeito Interino

Temporariamente, Caetano assumiu a prefeitura por alguns meses em 1963, ocasião em que o prefeito Helmuth Fallgatter realizou viagem à Europa.[8] Durante seu governo municipal foi criada a bandeira de Joinville.[9]

Fato curioso se deu quando ocorria a abertura da rua Papa João XXIII, ligando o Iririú ao Boa Vista. Segundo se conta, o traçado no projeto fazia curva à esquerda para evitar o morro onde mais pra frente estariam as instalações da Escola Técnica Tupy. Assumindo como prefeito interino, Caetano achou que o traçado deveria continuar sem desvios e ordenou que assim se desse. Ao saber disso, Fallgatter regressou de sua licença mais cedo, para impedir que Caetano afetasse as benfeitorias da Tupy.[4]

Deputado Estadual

Eleições Perdidas

1966 - Arena - Suplente ou não eleito (Informação não encontrada, mas Caetano não figurou entre os eleitos).

Informações Biográficas

Natural de São Francisco do Sul, Caetano foi descrito pelo jornalista Ary Silveira de Souza como um homem educado e formal, vestindo-se sempre com terno completo: Calça, colete, paletó e gravata. Ele tinha um irmão gêmeo, e inclusive se conta que namoraram a mesma moça, tamanha a semelhança entre eles.

Caetano morou no hotel Fiedler (Rio Branco esquina com Jerônimo Coelho) e foi gerente do extinto Lloyd Brasileiro. Ele faleceu em 7 de julho de 1992 e está enterrado no cemitério Municipal de Joinville[4]

Homenagens

Conforme comentado nos eventos da 5ª Legislatura, uma praça em Pirabeiraba leva o nome do Vereador Caetano Évora da Silveira Jr.

Galeria de Imagens

Presidente da Câmara de Vereadores de Joinville
Precedido por
Pedro Colin
Presidente 1963-1964 Sucedido por
Curt Alvino Monich
Vereadores da 5ª Legislatura
Antônio Vilmar CórdovaCaetano Évora da SilveiraCurt Alvino MonichÉdio FernandesEugênio BrüskeJacinto de Miranda CoutinhoJamel DippeGuilherme ZuegeHeinz SchulzKonrad KaesemodelMarcos Manoel MartinsNorberto SimmNilson Wilson BenderReinaldo Gomes de FrançaRaulino RosskampWilly SchosslandWittich Freitag




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Biografia de Caetano Évora da Silveira Jr.. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Caetano_%C3%89vora_da_Silveira_Jr.>. Acesso em: 29 de maio de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)


Referências

  1. Jornal A Notícia. Edição de 23 de setembro de 1962.
  2. UDN elegeu 5, PSD 3, PTB 3 e PRP 2 Representantes. A Notícia, 16 de outubro de 1962.
  3. Souza, Sirlei de. Ecos de Resistência na Desconstrução da Ordem: Uma Análise da "Revolução de 64" em Joinville. Orientador: Prof. Dr. Élio Cantalício Serpa. 1998. Dissertação (Mestrado) – Pós-Graduação em História do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina.
  4. 4,0 4,1 4,2 Souza, Ary Silveira de. Memórias de um Repórter Joinvilense. 1 Ed. Joinville: Editora Areia, 2018.
  5. A Notícia, Edição de 15 de agosto de 1963.
  6. Norte Reúne Prefeitos. O Estado, 27 de maio de 1966. Visitado em 20/04/2022
  7. Quais os Cidadãos Escolhidos por Joinville para a Futura Câmara. Jornal de Joinville, 09 de outubro de 1954.
  8. Correio do Povo, de Jaraguá do Sul. 'Prefeito de Joinville em Licença. Edição 20 de abril de 1963. Site:http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=886440&Pesq=%22Caetano%20%c3%89vora%20da%20Silveira%22&pagfis=10750. Visitado em 06/04/2022
  9. Lei Municipal nº 617/1963, de 14 de junho de 1963, disponível em http://leismunicipa.is/hrikd. Visitado em 15/03/2022