5ª Legislatura

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar

Foi a 5ª Legislatura pós-Era Vargas e era composta por 13 membros, sendo instalada em 4 fevereiro de 1963.[1] O advento do regime militar não interrompeu a legislatura.[2] A seguinte tomou posse em fevereiro de 1967.

Eleições

As eleições para vereador ocorreram em 7 de outubro de 1962, com um eleitorado de 32.966 votantes. A ausência de eleitores foi de 4.638. A votação por legenda ficou assim:

Legenda UDN PTB PSD PRP PDC PSP Nulos Em Branco TOTAL
Votos 9.907 6.072 5.420 3.383 1.440 396 1.180 530 28.328
Vereadores Eleitos 5 3 3 2 0 0

Nilson Bender (3.476 votos) e Wittich Freitag (2.482 votos) foram os mais votados.[3]

Mesa Diretora

Biênio Presidente Vice-Presidente 1º Secretário 2º Secretário
1963-1964 Caetano Évora da Silveira Curt Alvino Monich Antônio Vilmar Córdova Guilherme Zuege
1965-1966 Curt Alvino Monich

Vereadores Eleitos

Suplentes Convocados

Momentos Marcantes da 5ª Legislatura

A Câmara Municipal em Foco

Narra o jornalista Ary Silveira de Souza que, como repórter da rádio Difusora de Joinville, ele gravava os pronunciamentos dos vereadores feitos nas sessões da Câmara, usualmente às terça-feiras. Depois, ele editava os discursos para se encaixarem no programa A Câmara Municipal em Foco, que tinha duração de uma hora.

Como o programa era patrocinado pelo legislativo municipal, a edição era submetida à aprovação do presidente da casa, na ocasião, Caetano, que fazia questão de ser justo na distribuição do tempo de cada vereador na rádio, cuidando que não houvesse privilégio aos aliados ou prejuízo aos adversários políticos.[4]

A Praça Caetano Évora da Silveira, em Pirabeiraba

Magnifying glass 01.svg.png Ver artigo principal: Praça Caetano Évora da Silveira
A Praça Caetano Évora da Silveira, em Pirabeiraba

Tramitou em 1963 na Câmara um projeto que denominava de "Caetano Évora da Silveira" uma praça, na ocasião recém construída, no distrito de Pirabeiraba.

Como Caetano havia sido apenas prefeito interino, houve relutância em nomear uma praça em sua homenagem, resistência demonstrada pela apertada votação na Câmara: 5 vereadores contra e 5 a favor.

O voto de qualidade recaía sobre o presidente da casa, que por ironia do destino era justamente Caetano Évora da Silveira, que resolveu ser merecida a homenagem, e votou a favor do projeto.[5]

Golpe de 1964 e Início da Ditadura Civil-Militar

Magnifying glass 01.svg.png Ver artigo principal: Manifesto de 1964

A ruptura institucional ocorrida em 1964 não interrompeu a 5ª Legislatura, que inclusive, de forma geral, aplaudiu o novo regime. No dia seguinte ao golpe, a Câmara publicou um manifesto assinado por dez vereadores que descrevia o golpe militar como uma salvação que "(...) há de repor o nosso país ao seu verdadeiro lugar de honra, liberto da sanha demagógica e da dialética importada." [6]

Legislaturas pós-Era Vargas
Precedida pela
4ª Legislatura
5ª Legislatura Pós Era Vargas Sucedida pela
6ª Legislatura


Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 0000181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Câmara de Joinville: 5ª Legislatura. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=5%C2%AA_Legislatura>. Acesso em: 26 de fevereiro de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)


Referências

  1. Empossados os Novos Vereadores de Joinville. A Notícia, 07 de fevereiro de 1963.
  2. Ternes, A; Vicenzi, H. Legislativo de Joinville - Subsídios para sua história. 2 Ed. Joinville: Editora Letra D'Água, 2006. ISBN: 85-87648-09-8
  3. A Notícia. UDN elegiu 5, PSD 3, PTB 3 e PRP 2 Representantes.. Edição de 15 de outubro de 1950.
  4. Souza, Ary Silveira de. Memórias de um Repórter Joinvilense. 1 Ed. Joinville: Editora Areia, 2018.
  5. A Notícia, Edição de 15 de agosto de 1963.
  6. Souza, Sirlei de. Ecos de Resistência na Desconstrução da Ordem: Uma Análise da "Revolução de 64" em Joinville. Orientador: Prof. Dr. Élio Cantalício Serpa. 1998. Dissertação (Mestrado) – Pós-Graduação em História do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina.