Legislativo de Joinville - Subsídios para sua História

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar

Legislativo de Joinville - Subsídios para sua História é uma obra dos autores Apolinário Ternes e Herculano Vicenzi, realizada a pedido do então presidente da Câmara Municipal, vereador Arinor Vogelsanger, para fornecer um resgate do legislativo municipal. Este artigo tem a finalidade de apontar as incorreções presentes na obra. Antes, porém, o Projeto Memória CVJ deseja externar a profunda gratidão a historiadores do passado que colocaram os primeiros degraus para que hoje pudéssemos continuar a subida.

Como os próprios autores admitem com nobre sinceridade (página 7), aquela foi uma obra pioneira, e como tal, devia "padecer das sempre possíveis falhas, como eventuais omissões de nomes, datas ou de fatos." É para suprir tais deficiências que o Projeto Memória CVJ criou este artigo.

Página 62

No livro

Falando sobre a 5ª Legislatura Monárquica, a obra informa que os "Vereadores mais votados foram escolhidos para os cargos de presidente e vice, respectivamente, João Paulo Schmalz e Antônio José Ribeiro."

A Correção

João Paulo Schmalz e Antônio José Ribeiro não foram os mais votados, recebendo ambos 9 votos nas eleições de 1882. Os mais votados terminaram empatados com 12 votos cada, sendo eles Carlos Patzsch e José Celestino de Oliveira.[1] João Paulo Schmalz foi o primeiro presidente eleito após a vigência da Lei Saraiva, que inaugurou a eleição para presidentes de câmara municipais. Já que, anteriormente, os presidentes automaticamente eram os vereadores com mais votos na eleições, a autora pode ter feito a suposição de que novamente o presidente teria sido o mais votado, o que nesse caso não aconteceu pela primeira vez na história da Câmara de Joinville. É possível que Ternes e Vicenzi tenham replicado a informação errada já publicada anteriormente na obra Joinville - Nossos Prefeitos 1869-1903, de Elly Herkenhoff.

Páginas 70 e 71

No livro

A publicação anota 9 vereadores como compondo a 2ª Legislatura da Primeira República: Abdon Batista, Antônio José Ribeiro, Bernardo Bemba, Ernesto Canac, Fernando Wagner, Henrique Walter, João Colin, João Schroeder e Jorge Trinks. Depos a publicação informa que o pleito que os elegeu foi anulado, mas a formatação do texto induz o leitor a pensar que estes eram os membros da referida legislatura.

A Correção

Fernando Wagner, Jorge Trinks e Bernardo Bemba não foram eleitos e ficaram na suplência. Além disso, Henrique Hänsch não apareceu na lista dos eleitos. Ele recebeu 340 votos e nenhum dos três citados chegou a 300 votos. Além disso, na época eram em número de sete os vereadores em Joinville, e não nove, como no fim da era monárquica. Eis os eleitos, segundo o jornal Kolonie Zeitung:

Página 74

No livro

A publicação informa que a eleição para a 4ª Legislatura da Primeira República se deu em 26 de fevereiro de 1895.

A Correção

As eleições ocorreram no domingo de 7 de Abril. Na edição de de 4 de Abril, os candidatos estavam anunciando suas candidaturas.[3] Na edição de 09 de abril estavam anuncidos os eleitos.[4]

Página 76

No livro

A publicação informa que a eleição para a 6ª Legislatura da Primeira República ocorreu em 4 de agosto de 1902. Também alista como vereadores eleitos oito nomes: Bernardo Enzmann (presidente), Augusto Urselew, Luís Niemeyer, João A. Mueller, Bernardo Schramm, João Gregório Ribeiro, César Pereira de Souza, Otto Boehm.

A Correção

As eleições ocorreram na verdade no domingo de 7 de dezembro de 1902. Na ocasião, o legislativo joinvilense era composto por sete edis, não oito, já que, por motivos óbvios, o número costuma ser ímpar. A lista de vereadores eleitos não é a apresentada no livro, mas os que aparecem no artigo da 6ª Legislatura da Primeira República.[5]

Página 78

No livro

A publicação informa que em 1914, oito vereadores foram eleitos; a Câmara era composta por sete, como já comentamos. Os nomes dos eleitos, segundo o livro, eram:

A Correção

Segundo Ata veiculada no jornal Gazeta do Commercio, os eleitos foram sete, conforme nomes abaixo:

Ver também

Outros artigos com Correções Históricas sobre a política de Joinville.




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Legislativo de Joinville - Subsídios para sua História. Memória CVJ, 2023. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Legislativo_de_Joinville_-_Subs%C3%ADdios_para_sua_Hist%C3%B3ria>. Acesso em: 17 de julho de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2023)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2023)

Referências

  1. Noticias Locaes - Eleição Municipal. Gazeta de Joinville, 5 de julho de 1982. Visitado em 12/04/2023
  2. Kolonie Zeitung, 1 de setembro de 1891.
  3. Kolonie Zeitung, 04 de abril de 1895.
  4. Das Wahlresultat. Kolonie Zeitung, 09 de abril de 1895.
  5. Resultat der Munizipalwahl am 7 Dezember 1902. Kolonie Zeitung, 11 de dezembro de 1902.
  6. Acta. Gazeta do Commercio, 2 de setembro de 1914. Visitado em 23/05/2023