Ernesto Canac

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar
Ernesto Canac
Ernesto canac.jpg
Foto: Arquivos de Famílias do Arquivo Histórico de Joinville
Partido
Legislatura 1ª, 2ª, 4ª e 6ª Legislaturas da Primeira República

Em Joinville, Ernesto Canac, ou Léon Ernest Raphael Canac, foi vereador da , , e 6ª Legislatura da Primeira República

Vereador

  • 1ª Legislatura da Primeira República (1890-1891): Com o advento da república, a câmara municipal foi dissolvida e no seu lugar foi instaurado um conselho de intendência para cuidar dos assuntos municipais. Canac foi um dos intendentes nomeados pelo Interventor Lauro Müller,[1] presidindo tal conselho.[2]
  • 2ª Legislatura da Primeira República (1892-1893): Sendo eleito vereador nas eleições de 1891, com 369 votos,[3] Canac tomou posse em 1º de janeiro de 1892. No mesmo dia, duas horas depois, soube-se que as eleições de 1891 foram invalidadas e um conselho de intendentes foi nomeado pelo novo governo catarinense. Era o reflexo em Joinville das dificuldades políticas vividas na capital do estado, pois em 29 de dezembro de 1891 Lauro Müller renunciava ao cargo de governador de santa Catarina.[4] No entanto, Canac estava entre os intendentes nomeados pela junta governativa que tomou o poder.[5]
  • 4ª Legislatura da Primeira República (1895-1899): Recebendo 426 votos nas eleições de abril de 1895, Canac foi o segundo vereador mais votado naquele pleito.[6]
  • 6ª Legislatura da Primeira República (1903-1907): Nas eleições de 1902, Canac recebeu 1288 votos, sendo o vereador mais votado naquele pleito.[7] Canac presidiu o conselho municipal, e nessa condição, esteve entre as autoridades que inauguraram o Hospital de Caridade, atual São José.[8]

Outros Mandatos

Vice-Governador

Eleições Perdidas

1894 - 24 votos - Havia eleição para governador e vice em separado. Polydoro de S.Thiago foi eleito vice-governador com 7414 votos. Canac foi o segundo mais votado.[9]

Superintendente Municipal (Prefeito)

Deputado Estadual

Ernesto Canac afirma desconhecer algum poder que tenha o direito de dissolver o Congresso Estadual (1892)
  • 1ª Legislatura 1891-1892 | Legislatura Constituinte de 1891 - 7.807 votos.[10] A constituição catarinense de 1891 teve vida curta, já que em 1892 os federalistas tomaram conta do legislativo no estado e decidiu-se modificá-la, criando outra em 1892. Quando a junta governativa que tomou o poder do executivo estadual dissolveu o Congresso (o legislativo), num primeiro momento os deputados não reconheceram que tal junta tivesse poder legal para fazer isso. Em apoio ao protesto público do presidente do Congresso, vários deputados se pronunciaram declarando que igualmente não reconheciam que a junta tivesse autoridade para decretar tal dissolução, incluindo o deputado Ernest Canac.[11]
  • 2ª Legislatura (1894-1895) | Legislatura Constituinte de 1895 - 5.059 votos.[10] Em 1894, Canac foi o proponente de um projeto aprovado que pedia ajuda de mil contos de réis para auxiliar um estado e municípios depauperados devido às depredações dos vencidos revoltosos federalistas. A proposta foi aprovada com um aditivo aumentando o pedido para dois mil réis.[12] A constituição catarinense de 1895 veio para tomar o lugar da constituição estadual federalista de 1892, ressuscitando com alterações a de 1891.
  • 3ª Legislatura (1896-1897)
  • 6ª Legislatura (1904-1906) - 7.859 votos.[10]

Informações Biográficas

O empresário Canac. (Foto: Arquivo Público de SC.)[13]

O coronel Ernesto Canac nasceu em 7 de novembro de 1847, em Saint-Affrique, Aveyron, na Occitânia, sul da França.[14] Ele residia em Buenos Aires antes de vir para Joinville.[8]

Comerciante de Erva Mate

Atuando no ramo do Mate na capital argentina, Ernesto Canac veio à Joinville por incumbência de uma empresa portenha. Em 1881, ele se estabelecera com comércio de erva em São Bento. Em 1885 ele já se estava se ocupando da aquisição do engenho de Erva de Antônio Sinke. Experiente no ramo, ele planejou uma instituição capaz de monopolizar a exportação da erva. Em 1890, desses planos nascia a "Sociedade Industrial Catharinense”, sendo Canac um dos principais acionistas, bem como Procópio Gomes e Abdon Baptista. A Sociedade tornou-se uma empresa com filiais e uma potência no seu ramo de atuação. Canac tinha um escritório na esquina das ruas Princesa Isabel e do Príncipe. Ao fim do contrato de 15 anos, Canac vendeu seus ativos aos sócios e o afamado empreendimento dissolveu-se, surgindo firmas menores.[2][8]

O Republicano

Magnifying glass 01.svg.png Ver artigo principal: Proclamação da República em Joinville

Ernesto Canac foi um dos fundadores do Clube Republicano, em Joinville, no ano de 1886.[2] Canac foi um dos primeiros em Joinville a saber da proclamação da República. Foi no escritório de Canac que Ignácio Bastos se encontrou com este e com Victorino de Souza Bacellar para anunciar o ocorrido.[15]

Outros fatos importantes

  • 1891 - O Banco Industrial e Construtor do Paraná abriu a primeira agência bancária da história de Joinville, sob a direção de Canac.[2][16]
  • 1895 - Canac recebeu a patente de Coronel Comandante Superior da Guarda Nacional.[17]
  • 1906 - Canac integrou a comissão que foi a São Francisco do Sul receber o presidente eleito Afonso Pena, que visitaria Joinville.[2]
  • 1907 - Canac foi aclamado um dos dirigentes do Meeting de 1907, uma reunião realizada para protestar contra a isenção de impostos sobre parte dos bens do finado padre Carlos Boergershausen. Por lei estadual, a parte destinada à igreja foi dispensada de impostos e era um alto valor (8 contos de réis). O povo entendeu isso como contrário ao princípio da separação entre igreja e estado.[8]

Falecimento de Canac

Em outubro de 1907, Canac passou a residir em Curitiba.[4] Lá ele faleceu em 17 de outubro de 1920.[10]

Presidente da Câmara Municipal de Joinville na 1ª República
Precedido por
Frederico Brüstlein
Presidente de 1890 a 1891 Sucedido por
Abdon Batista
Vereadores da 1ª Legislatura da Primeira República
Carlos KumlehnErnesto CanacFrederico BrüstleinFernando RognerHenrique JordanJoão Eugênio Moreira Jr.Victorino de Souza Bacellar
Vereadores da 2ª Legislatura da Primeira República
Abdon BatistaAntônio José RibeiroErnesto CanacJoão ColinJoão SchroederHenrique WalterHenrique Hänsch

Quadro 4ª Legislatura da Primeira RepúblicaQuadro 6ª Legislatura da Primeira República



Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Biografia de Ernesto Canac. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Ernesto_Canac>. Acesso em: 22 de abril de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)


Referências

  1. Parte Official - Governo do Estado de Santa Catharina. República, de Florianópolis, 8 de janeiro de 1890. Visitado em 21/10/2022
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 Carlos Ficker. História de Joinville - Subsídios para a Crônica da Colônia Dona Francisca. Joinville: Impressora Ipiranga, 1965.
  3. Kolonie Zeitung, 1 de setembro de 1891.
  4. 4,0 4,1 Elly Herkenhoff. Joinville - Nossos Prefeitos: 1869-1903. Joinville: Prefeitura de Joinville, 1984.
  5. Circular de 17 de janeiro de 1892, em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  6. Das Wahlresultat. Kolonie Zeitung, 09 de abril de 1895.
  7. Resultat der Munizipalwahl am 7 Dezember 1902. Kolonie Zeitung, 11 de dezembro de 1902.
  8. 8,0 8,1 8,2 8,3 Sociedade de Amigos de Joinville. Álbum do Centenário de Joinville. Curitiba: Gráf. Mundial, 1951.
  9. Eleção Estadoal. República, 28 de setembro de 1894. Visitado em 27/07/2023
  10. 10,0 10,1 10,2 10,3 Memória Políticia de Santa Catarina. Visitado em 27/07/2023
  11. Estado de Santa Catarina. República, 8 de janeiro de 1892. Visitado em 27/07/2023
  12. Congresso do Estado. República, 5 de outubro de 1894. Visitado em 27/07/2023
  13. Item APESC_F0330 - Ernesto Canac (1846-1920). Arquivo Público do Estado de Santa Catarina. Visitado em 28/07/2023
  14. Léon Ernest Raphael Canac. Familysearch. Visitado em 24/07/2023
  15. Sociedade de Amigos de Joinville. Álbum do Centenário de Joinville. 1951. Curitiba: Gráf. Mundial.
  16. República, 31 de março de 1891. Visitado em 27/07/2023
  17. Guarda Nacional. A República, 19 de fevereiro de 1895. Visitado em 27/07/2023