Ludovico von Lasperg

De Memória CVJ
Ir para navegação Ir para pesquisar
Ludovico von Lasperg
Partido(s) Partido Conservador (1837)
Legislatura 1ª Monárquica
Assinatura Lasperg assina.jpg

Em Joinville, Ludovico von Lasperg, ou Ludwig, foi vereador da 1ª Legislatura do período monárquico.

Vereador

1ª Legislatura monárquica (1869-1874): Fazendo 89 votos pelo Partido Conservador, Ludovico foi eleito vereador nas eleições de 1868.[1]

Informações Biográficas

Vida na Europa e Imigração

Ludwig Von Lasperg nasceu em Hanôver, em 1830 e foi tenente do exército local. Desde cedo, Lasperg buscou ser protagonista dos rumos políticos de onde vivia, e se envolveu na revolução de 1848, que buscava a unificação dos estados alemães e o fim da autocracia.[2] Com o fim da revolução e perseguições políticas aos revoltosos, muitos deles se viram forçados a buscar o exílio, e isso talvez explique a imigração de Lasperg, que veio para Joinville em 1853 a bordo do Navio Caroline, quando ele tinha 23 anos de idade. Junto vieram sua mãe Dorette e sua irmã Amalie. [3]

Lasperg Arregaça as Mangas

Apesar do preparo intelectual, Lasperg percebeu que na colônia ele precisaria executar trabalhos braçais, e montou uma padaria.[2]

O Problema do abastecimento de Água

Como a vila de Joinville sofria com o problemático abastecimento de água, durante a 1ª Legislatura do período monárquico foi criada uma comissão para buscar uma solução, e Lasperg foi designado para integrá-la. A comissão decidiu aproveitar as águas do Morro do Boa Vista e canalizá-las até um poço no centro. O riacho que fornecia a água ainda hoje pode ser visto ladeando a rua Pastor Guilherme Rau, na subido do morro do Boa Vista.[4]

A Wikipédia em Volapuque tem um artigo sobre Lasperg

O Volapuque

Em Joinville, Lasperg se dedicou ao estudo do Volapuque, uma língua artificial criada em 1879 para ser um idioma internacional. Lasperg teve grande distinção entre os volapuquistas, alcançando o posto de Alto Mestre na língua, uma distinção que foi conferida pelo criador do idioma. Ele inclusive chegou a traduzir um artigo médico pediátrico do volapuque para o português. A Wikipedia tem artigos em Volapuque, inclusive com um artigo para Lasperg. Outro hobby de Lasperg era a filatelia.[5]

Lasperg, Uma Epidemia e um Escravo

Quando uma epidemia de febre amarela grassou em São Francisco do Sul, entre 1877 e 1878, Lasperg esteve entre os que fizeram donativos para o ajudar os enfermos da vizinha cidade.[6] Ele também fez um segundo donativo para um fundo que angariava meios de dar alforria a Antonio Naro, um escravo que muito auxiliou os doentes durante a pandemia.[7]

Publicidade às decisões do Judiciário

Em 1879, Lasperg enviou à Gazeta de Joinville um pedido para que tal jornal desse maior publicidade aos processos cíveis e criminais que corriam pela cidade. Ele comentou que muitos processos eram decididos sem que o público fosse cientificado do que estava acontecendo. O pedido, escrito com elegância, foi respondido positivamente pela redação do jornal.[8]

Um massacre, uma Adoção

Lasperg protagonizou um notável gesto de humanidade quando, em 1883, tomou aos seus cuidados uma pequena índia que sobrevivera a um massacre ocorrido nas proximidades de São Bento do Sul. Relatos dão conta de que 28 botocudos foram mortos, mas três crianças foram encontradas e estavam sendo enviadas a Desterro, atual Florianópolis. Era um menino e duas meninas. Quando as crianças passaram por Joinville, foram aqui adotadas por três famílias. Uma das meninas, de 5 anos, foi entregue aos cuidados da família de Ludwig Von Lasperg,[9] que a batizou de Estefânia Mariana von Waldheim[10] (Waldheim pode ser traduzido como "Casa na Floresta").[nota 1]

Outros fatos importantes

  • 1855 - Membro-fundador da Schützen-Verein zu Joinville, considerado o primeiro clube de tiro ao alvo do Brasil.[4]
  • 1880 - Eleito juiz de paz com 56 votos.[4]
  • Depois de 1880 - Delegado de Polícia.[4]
  • 1891 - Substituiu Otto Lauer como secretário da Câmara Municipal.

Aposentadoria em 1898

Lasperg informa o público sobre sua aposentadoria da padaria.[11]

Em 1898 Lasperg se aposentava de sua vida de padeiro, informando o fechamento do negócio de forma elegante, com publicação no no Jornal Kolonie Zeitung, que dizia em parte (Tradução feita pelo Memória CVJ):

Forçado pela invalidez a fechar neste dia meu comércio, sinto-me compelido a urgentemente informar meus clientes da gratidão, que certamente sentirei para sempre. 
Pelo espírito de benevolência que por mim tantas vezes demonstraram, e em dias ruins souberam relevar. Afinal, em 34 anos passamos por muitas coisas juntos.

Morte de Lasperg

Lasperg faleceu no dia 22 de julho de 1910, aos 80 anos. Uma nota de luto publicada no jornal Commercio de Joinville mencionava a morte de Lasperg, lembrando que ele foi um homem de preparo intelectual.

Galeria de Imagens

Vereadores da 1ª Legislatura Monárquica
Adolph HaltenhoffBenno von FrankenbergBernardo Poschaan Jr.Carlos MonichFrederico JordanFrederico LangeFrederico SchlemmJacob RichlinJean BauerLudovico von LaspergOttokar Dörffel




Pesquisador: Patrik Roger Pinheiro - Historiador | Registro Profissional 181/SC

Como Citar
Referência

PINHEIRO, Patrik Roger. Biografia de Ludovico von Lasperg. Memória CVJ, 2024. Disponível em: <https://memoria.camara.joinville.br/index.php?title=Ludovico_von_Lasperg>. Acesso em: 24 de abril de 2024.

Citação com autor incluído no texto

PINHEIRO (2024)

Citação com autor não incluído no texto

(PINHEIRO, 2024)

Notas

  1. Sinke, que foi vereador em Joinville, também criou uma das crianças.

Referências

  1. Há Quase um Século Foi Eleita a 1ª Câmara Municipal de Joinville. Jornal de Joinville, 09 de março de 1968.
  2. 2,0 2,1 Família von Lasperg. Blog de Augusto Urban. Visitado em 26/10/2022
  3. Lista de Imigrantes. Em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 Ficker, Carlos. História de Joinville - Crônicas da Colônia Dona Francisca. 2 Ed. Joinville: Impressora Ipiranga, 1965. ISBN: 8578020197
  5. Carta de Abelardo Sousa respondendo consulta de filatelistas. Em guarda do Arquivo Histórico de Joinville.
  6. A Pedido Gazeta de Joinville, 30 de abril de 1878. Visitado em 27/10/2022
  7. Annuncios - Lista de Pessoas que Contribuirão para a Libertação do escravo Antonio Naro. Gazeta de Joinville, 23 de julho de 1878. Visitado em 27/10/2022
  8. Correspondências. Gazeta de Joinville, 30 de maio de 2023. Visitado em 30/05/2023
  9. Notícias Locaes. Gazeta de Joinville, 5 de setembro de 1883. Visitado em 31/10/2022
  10. Avisos Ecclesiasticos. Gazeta de Joinville, 26 de setembro de 1883. Visitado em 31/10/2022
  11. Kolonie Zeitung, 30 de maio de 1898.
  12. Secretaria da Intendência. Gazeta de Joinville, 7 de junho de 1891. Visitado em 01/11/2022
  13. Pediatria - A Infleunza e o augmento do peso dos meninos. Visitado em 01/11/2022